Logotipo Admau

APL

Arranjo Produtivo Local (APL)

APL é uma aglomeração de empresas, produtores e instituições que, em um mesmo território, mantêm vínculos de cooperação. Com produtos semelhantes, participam da mesma cadeia produtiva, utilizam insumos, necessitam de tecnologias semelhantes e informações sobre os mercados. Quanto mais instituições locais-associações, centros tecnológicos, universidades, empresas, produtores e esferas de governo-atuarem de forma coordenada para gerar informações, conhecimento, inovação e serviços, mais forte será o arranjo. Quanto mais externalidades positivas forem usufruídas pelos atores produtivos, menores serão os custos e maiores a eficiência, o valor agregado e a renda gerada. Cada território- com instituições, cultura, meio ambiente, população- constitui um arranjo ímpar. É a capacidade local de cooperar que torna empresas e produtores competitivos e confere ao território capacidade de promover seu próprio desenvolvimento.

O projeto APLs

O governo do Estado do Rio Grande do Sul dispõe do projeto APLs, política pública para promover a organização dos APLs. O governo fomenta o desenvolvimento local e sustentável dos territórios e seus setores econômicos, sintonizando os arranjos produtivos com a Política Industrial e a Política de Desenvolvimento do Estado e do país.O programa de Fortalecimento das Cadeias e Arranjos Produtivos Locais foi criado pela lei nª 11.839 e regulamentado pelo decreto 48.936.

O APL conta com

Governança: Fórum participativo de empresas, produtores, poder público e instituições locais, que coordena e organiza ações conjuntas para o APL.

A Entidade Gestora: Associação sem fins lucrativos, voltada para o desenvolvimento do arranjo e da região, responsável técnica por planejamento, gestão de projetos,sistematização e divulgação da Agenda de Ações.

Agenda de Ações: Conjunto de ações e projetos em execução no APL com os respectivos recursos e responsáveis.

Páginas Internas